sexta-feira, 15 de junho de 2012

NA PRAÇA A SISMAR

Estou na praça de Leopoldina
vejo humanos a passar
me pego divagando
com meus botões a pensar
por que será que no íntimo
(das pessoas que passam)
suplica com veemência a esperança
quando no rosto de cada um
há sempre uma fera pronta a rosnar?
a resposta me vem num lampejo
medo de amar

Denis Cunha
10/08/2010

Nenhum comentário:

Postar um comentário